quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Entrevista com Jean Sinclair



Conte-nos por gentileza como começou sua história com as HQs e como surgiu o D9 ARTS.

Primeiramente, obrigado pela oportunidade.
Bem, Como todo artista,o desenho já faz parte da minha vida desde a infância.
Foi por volta de 1995,na extinta revista Herói,que vi as matérias sobre os artistas brasileiros que estavam ganhando espaço lá fora... Deodato, Roger, Marcelo(Campos). A realidade de trabalhar com desenho e pro mercado americano começou a deixar de ser um sonho e ganhar tangibilidadde.
Em 1996,consegui o antigo endereço da Art&Comics, daí comecei a enviar meus humildes trabalhos pra lá (em folha de A4,finalizado em caneta bic...BIZARRO!!!! hahahhaa!!). Depois da 4º carta que enviei (mandava uma carta por semana),recebi uma carta em resposta,dizendo que ainda não estava com o nível para pegar trabalhos,mas que continuasse estudando (era a carta padrão do estúdio,pena que a perdi,senão escaneava ela pra mostrar). Aquela carta me encheu de alegria, porque mesmo tendo recebido um não eu vi que estava no caminho certo.
Ainda em 1997, entrei em contato com o antigo Studio 3 , que atualmente é o Sequential Studio e fiquei apresentando testes para eles.
Em 2000, recebi críticas negativas em um teste que fiz que me fizeram parar de desenhar por 2 anos. Fiquei buscando outras coisas como programação e faculdade de economia. Esse período me serviu pra que eu me aprofundasse em animes e mangás e aumentasse o meu repertório pessoal, o que é sempre bom para um artista.
Voltei pra prancheta em 2002 ,e nesse mesmo ano,conheci meu grande amigo e irmão de artes,o Luis XIII.

Voltei a falar com os velhos contatos que tinha no mercado e voltei a fazer testes. Estava realmente enferrujado.

Em 2005, consegui entrar no mercado por meio do mercado de artes para venda e sem agente.
Daí eu, o Luis XIII,e o Jonathan Lima formamos o D9 Arts-Developing the Nineth Art(desenvolvendo a nona arte)(o logo e marca pertencem ao Luis XIII).



Você vendia e ainda vende artes por encomenda em sites como E-BAY correto?Como funciona esse tipo de serviço?É uma boa opção para os artistas iniciantes ou até mesmo os que querem complementar suas rendas?

Sim, ainda trabalho com artes pra venda e encomendas (commissions)
O sistema funciona assim:
Eu posto as artes em sites de leilões (como o E-bay). Esse leilão tem uma duração de 5-7 dias. Se um cliente está interessado, ele dá o seu lance, caso outro cliente esteja interessado nessa mesma arte, ele “cobre” o lance anterior, e assim vai até o período do leilão terminar. Quando termina, o pagamento é feito através do E-bay (o que dá confiança pros compradores) e quando eu recebo pagamento,eu envio a arte original pelo correio.
Atualmente eu não recomendo o mercado de artes pra venda pros iniciantes. O mercado está supersaturado de artistas de pequeno e médio porte e com grande procura, os preços estão baixos e as vendas baixas. Da pra conseguir uns trocados, mas não levanta a carreira.

Você ‘’cuidava’’ de outros desenhistas que vendiam artes desse modo certo?Ainda faz isso?Como os interessados devem fazer?

Sim, entre 2007 e 2008 eu cuidei dos trabalhos de aproximadamente 10-12 artistas e pessoalmente falando, foi a maior BURRADA que fiz na minha carreira.
Houveram coisas legais,pois trabalhei ao lado de grandes artistas que hoje são meus, entretanto isso me custou minha reputação como artista. Um dos artistas que eu trabalhava me deu uma Dor de cabeça MUITO grande,fora o fato que cuidar do trabalho dos outros exige MUITO da pessoa.Estressei-me pacas, brigava em casa com esposa porque estava muito nervoso e não estava mais desenhando. Olhei bem esse quadro e decide que não valia a pena.Bato palmas pra quem agência,é trabalho pra doido mesmo...Hahahah!!!



Ultimamente você tem colaborado na Revista Mundo dos Super Heróis, tendo ilustrado uma matéria sobre o Aquaman e até desenhou a capa da edição 15.Como surgiu o convite?

Foi da forma que todos fazem: Eu envie alguns desenhos pro Manoel de Sousa, editor da MSH (gente boníssima. Grande abraço,Manoel !). Dias depois ele me respondeu dizendo que tinha gostado do meu trabalho, e que no futuro,poderíamos fazer uma boa parceria na MSH.
A primeira foi o Aquaman, na MSH 13, Curti pacas o trabalho porque sou fã do Aquaman, Só pequei porque mandei o arquivo em RGB e pra impressão, é preciso que o arquivo digital esteja em CMYK, algumas cores se perderam na conversão.
A capa da MSH 15 foi um trabalho muito puxado. (Não estava conseguindo chegar num trabalho satisfatório pro pessoal da redação) fiz a capa umas duas vezes nessa parte do processo. Daí o Manoel me perguntou se não teria problema de pedir a opnião do Bené (Joe Bennett).

Como foi a parceria com o mestre Joe Bennett?
Foi muito legal. O Bené é um dos artistas mais talentosos do mercado e uma pessoa maravilhosa. Continuando, ele foi muito solícito ao pedido do Manoel e se prontificou pra ajudar e me mandou um novo layout pra capa.
Daí começou meu desafio: Manter o nível do layout do Bené no trabalho final. Ralei MUITO, e a arte foi avaliada e alterada várias vezes. O Bené, como todo grande mestre, COBRA MUITO e ele ta certíssimo.
Curti muito o trabalho à lápis e arte-final(que foram minhas).Quando foram as cores, até tentei mas o resultado não foi satisfatório,daí o Manoel repassou pro Isaac,do Estúdio Made in Paraíba ( Grandes caras e artistas talentosíssimos) que fez um grande trabalho.
O retorno dos fãs não foi lá muito bom, alguns criticaram, outros até de forma bem depreciativa. Os irmãos de arte curtiram muito e no geral foi um grande trabalho que gostei muito.

Será que vamos ver mais desenhos seus na Mundo?

Eu to sempre à postos. Curto a MSH porque é uma revista que deu o espaço que o artista nacional precisa. É uma revista conduzida pros profissionais que AMAM MESMO Quadrinhos.
O Manoel sempre sabe que pode contar comigo quando ele precisar e só ele sabe dizer quando eu volto pra páginas da MSH...Hehehe.



Você ainda é agenciado pelo Sequential Studios?Como é trabalho com eles?

Atualmente não. Ando bem ocupado com encomendas e trabalhos pra particulares. O pessoal do Sequential Studios são grandes profissionais e hoje lá há grandes artistas que estão nas grandes. Eu recomendo.

O que você tem feito atualmente nas HQs?

Atualmente estou fazendo uma grapich novel particular. Um trabalho que consegui a partir dos meus contatos adquiridos na Internet. Ele ainda está batalhando a publicação dela e estou curtindo o processo.
Também estou fazendo testes pra uma agência daqui (Sorry! sem detalhes)




Quais os artistas que o influenciaram?

Quando eu comecei a pensar de forma mais profissional o Jim Lee era minha influência principal.
Anos depois eu descobri artistas como Carlos Pacheco e Travis Charest e tive acesso a livros de anatomia do Burne Hogarth e passei a estudá-los com muito afinco.

Atualmente, eu sou fã e aluno pio do Ivan Reis. Nesse período de retomada, eu estava meio sem referência, e quando vi os trabalhos do Ivan no Superman, foi o que precisava pra deslanchar. É um dos artistas que um dia eu ainda encontrarei pessoalmente e sempre serei grato à ele.
Também continuo acompanhando e estudando o Carlos Pacheco (meu TOP2) e o Travis Charest.
Um grande artista e amigo que conheci foi o Mestre Al Rio. Um grande artista e um grande amigo que não só me ensinou como ser um grande artista e também em ensinou muitas lições de vida.
Adicionei diversos artistas ao meu repertório como o Enrico Marini, Steve Skroce, Ed McGuiness, Mark Schultz,Paulo Siqueira,Alan Davis,Bryan Hitch, Steve McNiven, Eddy Barrows, Frank Cho, Terry Dodson,Lan Medina, Ryoichi Ikegami,Takehiko Inoue, Kinu Nishimura, Akiman, Ma Wing Shing,Andy Seto,Mike Wieringo e também artistas clássicos como Rembrant,Rubens,Boccicceli,Gustav Klint,Alphonse Mucha,Boris Valejo,e os grandes Burne Hogarth,Frank Frazetta,Normal Rockwell,John Buscema,Gil Kane, Barry Smith e Jose-Luiz Garcia Lopez,George Perez.

Qual sua maior dificuldade no desenho(se é que você tem alguma)?

Começar os desenhos em si... Sério... Sentar na prancheta é sempre o passo mais difícil.
Não curto muito as pernas que eu faço. To sempre estudando pra “desengessa-las”.




Qual o seu método de trabalho?Explique desde os primórdios até a finalização do trabalho...

Leio o roteiro todo. Depois corro atrás das referências que não possuo,na Internet e na minha coleção de Quadrinhos.
Eu gosto de fazer os layouts bem pequenos, pra ver como a diagramação toda funciona. Depois trabalho os quadros em si. As posições, ângulos, a perspectiva. Tudo muito simples.

Daí começo a esboçar a páginas com Lapiseira 0,5 com grafite colorido (azul ou verde) de forma bem leve,mas definindo o máximo que posso.
Depois faço o trabalho de definição com lápis e completo o trabalho.

Quantas horas/dia você passa na prancheta?

1 página por dia ou encomenda, numa média de 6-8 horas,6 dias por semana(DOMINGO É FOLGA!). Esse é o essencial para um artista profissional fazer por dia. Depois da página completa,curto fazer uns esboços e treinar pintura digital(mais voltada pro lado artístico do que pra HQs, que ultimamente tenho curtindo pacas.



Como é cuidar da carreira de desenhista, ser casado e ter um filho?O cérebro não dá pane não?

Sério... SER PAI É MARAVILHOSO!!! Filhos realmente tomam tempo, mas to amando ser Pai. É muito gostoso. Recomendo.


Você trabalha em alguma outra coisa atualmente ou é desenhista ‘’full time’’?

Estou no quinto semestre de Artes Plásticas no CEFET-CE. Fora isso é desenho na veia.




Deixe um recado para os aspirantes a desenhista, por favor. Oriente-os!


Desenhem muito, estudem sempre. Busquem ver os bons profissionais, leiam mais quadrinhos, vejam bons filmes, sejam bons ouvintes.
Atualmente temos como concorrentes nós mesmos em 1º lugar e depois o resto do mundo. O mercado está bastante concorrido,mas o melhores sempre terão o seu lugar.
Grande abraço.Muito obrigado pela entrevista.
De nada e no que precisar,é só chamar.